TERRITÓRIO POÉTICO CIDADE TIRADENTES

CLIQUE NAS PAGINAS DO BLOG E CONHEÇA O TRABALHO DE CADA ARTISTA PARA O “TERRITÓRIO POÉTICO” E CURRÍCULO.

*
O Projeto “Território Poético na Cidade Tiradentes” é uma proposta de Arte Pública encaminhada ao edital de arte pública “Arte na Cidade”  da Secretaria Municipal de Cultura, focado em artes visuais ao ar livre.

Treze artistas e dois coletivos foram convidados a ocupar com arte 15 empenas de prédios na Cidade Tiradentes, ao longo da Avenida dos Metalúrgicos, avenida central do bairro. O material utilizado será lona em vinil com arte impressa instalada com estrutura metálica. Cada lona / arte terá a medida de 5 metros de largura por 10 metros de altura e permanecerá nos prédios em caráter semipermanente. A comunidade de moradores já demonstrou amplo interesse em abrigar o projeto.

Artistas: Regina Silveira, Guto Lacaz, Rui Amaral, Eduardo Verderame, Túlio Tavares, Antonio Brasiliano, Cleiri Cardoso, Coletivo 5zonas, Coletivo Nova Pasta, Flavia Sammarone, Leya Mira Brander, Marcos Vilas Boas, Monica Rizzoli, Rodrigo Araújo, Tiago Judas.

Idealização e Curadoria:  Eduardo Verderame, Túlio Tavares

Contato: Eduardo Verderame <everderame@gmail.com>, Túlio Tavares <tuliotavares@yahoo.com.br>

O PROJETO POSSUI APOIO DA SUB PREFEITURA da CIDADE TIRADENTES

VIDA PÚBLICA

Acreditamos que a experiência poética pode transformar o cotidiano, ampliar intersecções entre arte, estética e política, potencializar a função social da arte ao propor um diálogo com outras esferas do conhecimento, inventar novos espaços de atuação, formas de organização e práticas artísticas. A experiência poética pode, em sua prática, intervir na vida pública, construindo outras formas de convivência.

MAIOR COMPLEXO HABITACIONAL DA AMÉRICA LATINA

Nos meados do século XX, com os altos custos de moradia no centro da cidade de São Paulo, muitos dos trabalhadores das indústrias e suas famílias, não mais suportando esta condição, deslocaram-se para as periferias em busca da casa própria. Neste momento, as bordas da cidade de São Paulo começaram a ser tomadas por loteamentos clandestinos e ocupações irregulares.
Devido a essa crise habitacional, no final da década de 1970, no sentido de implantar Políticas Públicas voltadas à habitação, o poder público iniciou o processo de aquisição de uma gleba de terras, no extremo leste da cidade de São Paulo, conhecida como Fazenda Santa Etelvina, então formada por eucaliptos e trechos da Mata Atlântica, para construção de prédios residenciais, destinados às famílias de baixa renda, que aguardavam na “fila” a aquisição da casa própria.

Os edifícios residenciais começaram a ser construídos, a maioria deles pela COHAB (Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo), CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo) e por grandes empreiteiras, através do SFH – Sistema Financeiro da Habitação – e do BNH – Banco Nacional da Habitação, extinto em 1986.

Surge, então, Cidade Tiradentes, onde a paisagem local foi substituída pela proliferação de conjuntos habitacionais construído como um grande conjunto periférico e monofuncional, do tipo “bairro dormitório”, para deslocamento de populações atingidas pelas obras públicas, assim como ocorreu com a Cidade de Deus, no Rio de Janeiro.

A identidade dos moradores de Cidade Tiradentes está diretamente ligada ao processo de constituição do bairro. Muitas pessoas vieram de diversas regiões da cidade de São Paulo, entre elas, Bixiga, Casa Verde, Freguesia do Ó, Jabaquara, entre outros, para a Cidade Tiradentes em busca da realização do sonho da casa própria, embora boa parte tenha se deslocado a contragosto, na ausência de outra opção de moradia. O fato de não terem encontrado no local uma infra-estrutura adequada ás suas necessidades e da região oferecer escassas oportunidades de trabalho, fez com que passassem a ter Cidade Tiradentes, como bairro dormitório e de passagem e não de destino.

O Distrito de Cidade Tiradentes tem 25 anos,  está situado a 35 quilômetros do marco zero da Capital Paulista, a Praça da Sé. Com uma população, de mais de 300 mil habitantes, ele abriga o maior complexo de conjuntos habitacionais da América Latina, com cerca de 40 mil unidades habitacionais.
*
IMAGENS DA CIDADE TIRADENTES

Clique nas páginas acima e veja a arte dos artistas para o projeto.
OCUPAR COM ARTE QUINZE EMPENAS DE PRÉDIOS NA CIDADE TIRADENTES
Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário